1ª SEXTA-FEIRA – 6/MAIO/2016

S. FRANCISCO DE LAVAL (1623-1708) . “Ele dá tudo e vive em pobreza”, dizia STA Maria da Encarnação de Monsenhor Laval, nobre françês que foi o primeiro bispo do Quebec (Canadá). Foi canonizado pelo papa Francisco em 2014.

Actos 18, 9-18 ; Sal 46, 2-7 ; João 16, 20-23a

“A VOSSA TRlSTEZA MUDAR-SE-Á EM ALEGRlA… ” ( Jo. 16,20-23a) . Promessa de mudança para os tempos difíceis que se aproximam. A morte de Cristo traz alegria ao mundo, na lógica dos descuidados e indolentes que se alegram por ninguém lhes julgar os actos. Mas a ressurreição de Cristo e a Sua vinda gloriosa irão trazer bem maior alegria aos que acreditam n’Ele, ao passo que aqueles que estão apenas virados para si próprios mergulharão no triste absurdo de uma noite sem fim. Dir-se-á – como afirmam grande número de contemporâneos nossos – que “a ressurreição de Jesus e a Sua vinda gloriosa não são credíveis!” Mas a Ressurreição não corresponde à simples revivescência na materialidade da carne, o que, efectivamente, não seria credível. Os apóstolos tiveram uma particular experiência da ressurreição de Jesus e transmitiram-nos essa enorme certeza. A nossa alegria é a alegria da fé, na realidade da ressurreição, até que chegue a sua plena realização no fim dos tempos. Esta alegria da fé – transbordante de vitalidade – nada nem ninguém no-la poderá arrebatar.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.