SEGUNDA-FEIRA – 15/DEZEMBRO/2014

BTO. JOÃO HENRIQUE CARLOS STEEB (1773-1856). Sacerdote alemão, de família luterana, converteu-se aos 18 anos. Fundou, em Verona, com Luísa Poloni, o “Instituto das Irmãs da Misericórdia” inspirado em S. Vicente de Paula, para assistir os doentes deficientes e ensinar os jovens. Este instituto está em Portugal desde 1971. O seu lema é: “caridade, humildade e simplicidade”.

SantaVirginiaBracelliSTA. VIRGíNIA BRACELLI (1587-1651). Após a morte do marido, esta Genovesa consagrou-se ao serviço dos orfãos, dos velhos e dos doentes e, depois, renunciando aos seus bens, participou, como auxiliar das “Cem senhoras da Misericórdia”. No ex-convento do Monte Calvário fundou a obra “Nosso Senhor do Refúgio do Monte Calvário”. Canonizada em 2003 por S.João-Paulo II.

Números 24, 2-7.15-17a ; Sal 24, 4bc-9 ; Mateus 21, 23-27

UMA AUTORIDADE QUE LIBERTA (Mat.21,23-27). A que autoridade confiamos as nossas vidas? À autoridade do poder, do parecer, do dinheiro? Ou à autoridade de Deus? Sem dúvida que a autoridade de Deus pode causar-nos medo. Se nos entregarmos a ela, que acontecerá à nossa liberdade, projectos e interesses? Todavia, a autoridade de Deus não é senão amor, bondade e benevolência. Ela faz-nos crescer. Colocarmo-nos sob a tutela dO Pai, dO Filho e dO Espírito, é acolher em nós mesmos um amor transbordante. A sua autoridade liberta-nos das zonas de sombra e torna-nos mais humanos, não só com os outros mas também com nós próprios. Em definitivo, a autoridade de Deus é a bitola de uma felicidade inexpugnável.

“Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.