QUINTA-FEIRA – 13/NOVEMBRO/2014

SaoDiogoDeAlcalaEmExtase_MurilloS. DIOGO DE ALCALÁ (1400-63). Franciscano espanhol, foi porteiro no convento de Arizafa e depois missionou as Canárias. No ano jubilar de 1450 em Roma (ano da canonização de S.Bernardino de Sena), estavam ali 4000 franciscanos vindos de todo o mundo e, ao declarar-se uma epidemia, ele foi encarregado da enfermaria. Taumaturgo, beijava os empestados, o pão e os remédios multiplicavam-se nas suas mãos, e chegava a salvar os moribundos. Um quadro de Murillo representa-o elevado em êxtase na cozinha, com os anjos a tratar das refeições. Cem anos após a morte, o rei Filipe II, abriu o túmulo para pedir a cura do filho com traumatismo craniano (caíra dum cavalo). O toque no seu corpo incorrupto curou o príncipe!

Filémon 7-20; Sal 145,7-10; Lucas 17,20-25 

“COMO UM IRMÃO QUERIDO” (Filémon 7,20). Que família esquisita! A casa, mais que os familiares (oikos), era a estrutura de base da sociedade greco-romana: o pai de família reinava ali como senhor da sua mulher, dos seus filhos, dos criados e dos escravos. Um escravo fugitivo merecia a morte. Ora Paulo fizera de Onésimo em fuga um cristão, ele tinha-o gerado em Cristo, como fizera com Filémon, o senhor da casa. A partir de agora, se reenvia Onésimo ao seu senhor, Paulo quer que este o receba já não como escravo, mas como irmão muito querido, como se o acolhesse a si próprio. Quando as famílias se tornavam cristãs, a sua estrutura interna ficava inteiramente subvertida. Na Igreja-família, não há nem esravo nem homem libre, todos são irmãos em Jesus Cristo!

“O REINO DE DEUS ESTÁ NO MEIO DE VÓS…” (Lucas 17,20-25). Todos conhecemos o jogo das crianças que escondem um objecto e cuja posição indicam à medida que se procura, dizendo: “frio, quente, quente, a escaldar…” O Reino de Deus é um tesouro escondido. Se dás o teu pão àquele que tem fome, tu estás quente. Se libertas o teu irmão acorrentado, tu estás quente. Se dás um copo de água ao que tem sede, tu estás quente. Se, pobre, humilhado, com fome e sede de justiça, vives as Bem-aventuranças, tu estás quente. Se dás a vida por amor, tu estás quente. E finalmente, és tu próprio que escaldas. Sim, tu estás a arder com o mesmo amor de Cristo! A nossa fé faz-nos reconhecer os sinais dO Reino; a nossa esperança faz-nos aguardar Cristo na Sua glória que iluminará o mundo. Entretanto, é a noite de provação. Senhor, faz de mim um crente à espera dos Teus sinais e um vigilante que aguarda a Tua vinda !

“Meditações Bíblicas”, trad. dajes Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard, Paris). Selecção e Sìntese: Jorge Perloiro.