Quinta-feira – 13/AGOSTO2015

San_PonzianoSTO. HIPÓLITO, presbítero, mártir, +235: Hipólito foi o mais importante escritor cristão do final do século III. Entre suas obras mais conhecidas estão as “Teorias Filosóficas”, o “Livro de Daniel” e “A tradição apostólica”, em que são retratados temas importantes como culto, disciplina e costumes cristãos da época. Lutou energicamente pela preservação da fé recebida dos Apóstolos. Foi martirizado juntamente com o Papa S. Ponciano.

S. PONCIANO, papa, mártir, +235: Ponciano foi eleito bispo de Roma em 231. Exilado em 235 pelo imperador Maximiano, cumpriu seu exílio juntamente com Hipólito, na Sardenha, onde abdiou do papado. Depois de sua morte no exílio, o corpo foi sepultado no cemitério da Via Tiburtina.

Js 3,7-10a.11.13-17; Sal 114(113A),1-2.3-4.5-6; Mt 18,21-35.19,1

Comentário do dia: Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (norte de África), doutor da Igreja, 1º sermão

«Perdoa-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos» (Mt 5,12)

Todo o homem é devedor de Deus e tem o seu irmão como seu devedor. Haverá alguém que não deva nada a Deus, senão Aquele em quem não se pode encontrar pecado? E quem é o homem que não tem um irmão como seu devedor, senão aquele a quem ninguém ofendeu? Parece-te possível que haja um único homem a quem não se possa contabilizar qualquer falta para com um irmão? Portanto, todo o homem é devedor de alguém e tem os seus devedores. Por isso Deus, que é justo, deu-te uma regra para seguires com o teu devedor, e Ele próprio aplicará esta regra para com o seu. Existem, com efeito, duas obras de misericórdia que nos podem libertar; o próprio Senhor as formulou de uma forma breve no seu Evangelho: «Perdoai e ser-vos-á perdoado», «Dai e dar-se-vos-á» (Lc 6,37ss). A primeira tem a ver com o perdão, a segunda com a caridade. Tu desejas obter o perdão dos teus pecados e também tens pecados a perdoar a alguém. O mesmo se passa com a caridade: o mendigo pede-te esmola e tu és o mendigo de Deus, porque todos somos, quando pedimos, mendigos de Deus. Todos nos prostramos diante da porta do nosso Pai, da sua enorme riqueza. E suplicamos-lhe gemendo, desejosos de receber dele alguma coisa: ora essa coisa é o próprio Deus. Que te pede o mendigo? Pão. E tu, que pedes a Deus? Nada menos que o próprio Cristo, que disse: «Eu sou o pão vivo que desceu do Céu» (Jo 6,51). Quereis ser perdoados? «Perdoai e sereis perdoados.» Quereis receber? «Dai e dar-se-vos-á.»

Fonte: evangelhoquotidiano.org