SÁBADO – 22/NOVEMBRO/2014

ExtaseDeSantaCeciliaSTA. CECíLIA (~180). Nascida numa família ilustre romana, é, desde o século V, venerada como virgem e mártir.

Apocalipse 11, 4-12 ; Sal 143, 1-2. 9-10 ; Luc. 20, 27-40

“ESTAS DUAS TESTEMUNHAS….” (Ap.11,4-12). Pergunta-se com frequência quem serão estas duas testemunhas, também chamadas “profetas” : elas enfrentam as forças do mal que denunciam, que as matam com o regozijo dos habitantes da terra, mas, reerguidas por Deus, elas suscitam a conversão e o arrependimento dos seus inimigos. Responsáveis das Igrejas? Grupos cristãos? O autor tem o cuidado de sublinhar que escreve de forma simbólica. Trata-se certamente daqueles que, no encalço de Cristo aceitaram o apelo à conversão e morreram como Ele, nas condições e no mesmo lugar em que Ele foi crucificado. A palavra “testemunha” diz-se “martur” em grego, e os que testemunharam até ao fim ao preço da própria vida são os “mártires”, testemunhas credíveis acolhidas por Deus. “O Espírito da vida entrou neles”. Triunfo da Ressurreição sobre todas as forças da morte. É desolador contemplar os que se encarniçaram a matar de toda a espécie de formas, e que todavia podiam “subir ao céu na nuvem”. Pensamos logo na profecia de Zacarias (Zac.12,10), realizada na Cruz: “Hão-de olhar para Aquele que trespassaram” (João 19,37).

“Meditações Bíblicas”, trad. das Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard, Paris. Selecção e Síntese: Jorge Perloiro.