XXVI DOMINGO DO TEMPO COMUM – 28/SETEMBRO/2014

SantaEustaquiaSTA. EUSTÁQUIA (418). Filha de STA. Paula, seguiu o ensino de S. Jerónimo após o regresso deste a Roma. Acompanhou a mãe com S. Jerónimo numa visita à Terra Santa e sucedeu-lhe à frente do mosteiro-hospital que tinham construido em Belém.

SaoVenceslauS. VENCESLAU DA BOÉMIA (929). Filho do rei Ratislav, nasceu junto de Praga. Órfão muito novo foi educado pela avó STA. Ludimila. Sucedeu ao pai, mas foi assassinado pelo irmão. Patrono da República Checa, é considerado mártir.

Ezequiel 18, 25-28 ; Sal 24, 4b-9 ; Filipenses 2, 1-11 ou 2,1-5 ; Mateus 21, 28-32

DoisIrmaosDEUS AMA-NOS PRIMEIRO (Ez.18,25-28; Filip.2,1-5; Mat.21,28-32). “Nada está garantido de antemão…” Isto é verdadeiro, excepto para O Amor de Deus. Deus é maior que o nosso coração. O profeta Ezequiel já dizia aos filhos de Israel : “Deus não deseja a morte do pecador”. Viver, é voltar-se para Deus e levar uma vida correcta e justa : mas, mesmo sendo sempre possível ao pecador voltar-se para Deus e salvar a sua vida, evitar o pecado será a conduta mais segura para alcançar a salvação! Deus ama-nos gratuitamente. Mas que sabemos nós deste Seu Amor? S. Paulo escreve aos Filipenses que o modelo do amor é a forma como Cristo Se entregou a Si mesmo. Ele que estava junto de Deus fez-Se um de nós. Tornado Servo, Cristo despojou-Se de tudo até morrer numa cruz, e nela revelou O Amor com que Deus nos ama : um amor sem partilha, absoluto, sem condições. Se os publicanos e as prostitutas do tempo de Jesus nos precedem nO Reino de Deus, é por-que ele já está foi antecipadamente ganho : Deus ama-nos primeiro, quer sejamos bons ou maus, e amar-nos-á até ao fim. Se O Seu Amor nunca tivesse tocado o nosso coração e nós não o acolhêssemos, viveriamos como agora? Olhar-nos-íamos sempre com os mesmos olhos? Na Parábola, o evangelista generaliza. O primeiro filho “faz a vontade d’O Pai”, apesar da sua recusa inicial. O segundo, ao contrário do que prometera, nada faz. Todos os interlocutores de Jesus concordam com Ele. Porquê então Jesus os critica tão duramente apontando-lhes a sua desclassificação nO Reino de Deus? É que eles não acreditaram na palavra do justo João Baptista, enquanto os publicanos e as prostitutas estão salvos porque acreditaram e se arrependeram. Mateus não escreveu para os chefes dos sacerdotes nem para os anciãos. O seu evangelho dirige-se, após a Páscoa, às comunidades cristãs. Pressente-se que este evangelho tem em vista os numerosos cristãos de origem judaica. Entre eles, alguns estavam na comunidade na expectativa da vinda dO Reino, mas tentados a voltar às suas convicções anteriores. Certamente todos, chefes dos sacerdotes, anciãos, publicanos e prostitutas hão-de participar nO Reino! Ninguém está excluido. Mas em troca todos devem esforçar-se por viver com coerência a fé. Se nos contentarmos com belas declarações, e não procurarmos ser justos e ajustar-nos a Deus, recuamos e fazemos recuar O Reino. É pedido aos discípulos que correspondam ao que acreditam. Para apoiar este pedido, é dado o exemplo dos pecadores profissionais que se converteram e mudaram a sua vida. Como eles, os cristãos devem aprofundar a sua conversão, sem voltar atrás, permanecendo amarrados fortemente aO Senhor Jesus. Deus, finalmente, não é Aquele que julgamos. Neste domingo digamos com O Apóstolo: “Eu tenho uma certeza: nem a morte nem a vida, (… ) nem os céus nem os abismos, nem qualquer criatura poderá separar-nos dO Amor de Deus em Jesus Cristo (Rom. 8,38-39).

“Meditacões Bíblicas”, trad. das Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.