QUARTA-FEIRA – 25/JUNHO/2014

BeatoJoaoDeEspanhaBTO. JOÃO DE ESPANHA (1123-1160). Com dezasseis anos entrou no mosteiro cartuxo de Montrieux, onde após ser monge foi ordenado sacerdote. Graças à maturidade precoce das suas virtudes cristãs, foi eleito Prior com vinte e poucos anos. Foi no seu governo que se criou o ramo feminino do Carmelo.

SaoProsperoS. PRÓSPERO DA AQUITÂNIA (depois de 455). Nascido na Aquitânia, região da Gália antiga, recebeu educação literária e filosófica. Secretário do papa S. Leão Magno contribuiu para propagar as ideias de STO. Agostinho contra o pelagianismo que exagerava a força do livre arbítrio, chegando a negar a necessidade da graça, a transmissão do pecado original e a distinção entre natural e sobrenatural.

2 Reis 22, 8-13; 23,1-3 ; Sal 118, 33-37. 40 ; Mateus 7,15-20

AcautelaiVosDosFalsosProfetas“PELOS FRUTOS OS RECONHECEREIS…” (Mat.7,15-20). Eis uma lição sobre jardinagem cheia de bom senso. E sobretudo uma boa lição de discernimento espiritual dada por Jesus aos discípulos: avaliar os frutos para considerar a sanidade da árvore. Não é no inverno nem mesmo na germinação primaveril que se pode verificar a qualidade duma árvore. É necessário tempo para discernir e é necessário ter tempo para se verem amadurecer os frutos da graça de Deus. Jesus chama-nos a uma vigilância que consegue ver para além das aparências enganosas. Mas onde está O Espírito de Deus aí germinam e amadurecem os frutos da alegria, da unidade, e da paz. “O Espírito Santo é como um jardineiro”, dizia o santo Cura d’Ars. Espinhos e cardos, uvas e figos representam dois mundos: o mundo da natureza entregue a si própria, que pode ferir-nos, e o mundo da natureza cultivada, que nos alimenta. Assim também os verdadeiros profetas, que transmitem a palavra de Cristo sem adoçarem ou negarem o carácter incontornável da porta estreita, convidando os homens a trabalhar sobre si mesmos e sobre as suas paixões (cólera, inveja, avareza…), para não permanecerem no estado da natureza selvagem. Então, as sementes do amor que Deus deposita no nosso coração, podem crescer como frutos de escuta, de benevolência e de paciência para com os outros.

“Meditações Bíblicas”, tradução das Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl.Panorama, Ed.Bayard, Paris). Recolha e síntese: Jorge Perloiro.