TERÇA- FEIRA – 20/MAIO/2014

RomaChiesaJesuitaS. BERNARDINO DE SENA (1381-1444). Com os seus sermões este pregador franciscano contribuiu para a conversão de muitos ouvintes e propagou a devoção ao Santo Nome de Jesus simbolizado no monograma de 3 letras “ IHS ”(Jesus Salvador dos homens), que STO. Inácio de Loiola incorporou mais tarde, no século XVl, no símbolo dos jesuítas.

Actos 14,19-28 ; Sal 144,10-13ab. 21 ; João14, 27-31a

PauloEDeixadoComoMorto“É PRECISO PASSAR POR MUITAS TRIBULAÇÕES…” (Act.4,19-28). Ao dizer estas palavras aos anciãos colocados à frente da Igreja que fundara, Paulo não fazia exercícios de retórica nem se referia só ao seu passado ou ao que poderia suceder-lhe no futuro – bem sabia que o esperavam a prisão e as cadeias – referia-se a um episódio recente. De facto, Paulo tinha acabado de ser apedrejado e abandonado inerte, como morto. Imaginamos portanto o seu corpo ainda magoado e coberto de feridas. E, todavia, não pensemos que para ele as palavras proferidas por Jesus sobre a alegria fossem meramente teóricas.

PAZ, ALEGRIA, FÉ (Jo.14,27-31a). Jesus sabe que os discípulos estão perturbados, então fala-lhes de paz e dá-lhes essa paz. Jesus sabe que estão tristes, que a hora é grave, e fala-lhes de alegria, dessa alegria que depende da sua amizade. Apesar das provações a alegria e a paz são dadas a quem dá e, mais ainda, aos que se dão. Aliás, numa das suas cartas, Paulo escreve: “tenho alegria em superabundância no meio de todas as dificuldades”. Há que sublinhar a expressão: no meio ; quem se enraizar na vida de Cristo será, relativamente às tribulações inerentes à sua condição terrena, como a árvore que sem se mover olha imperturbavel para a sombra a rodar à sua volta. Não se chega a isso de um dia para o outro ; nem toda a gente é Paulo, e a alegria e a paz, escondidas no fundo de nós mesmos, emergem muito devagar até ao nível do consciente. Porém, os sofrimentos não são ninharias e não devem ser avaliados com ligeireza. Jesus sabe que os discípulos estão tentados pela dúvida e pelo medo, então fala-lhes de fé, mas eles terão que aguardar a Ressurreição. Senhor, também eu preciso que Tu que me fales de Paz, de Alegria e de Fé!

“Meditações Bíblicas”, tradução das Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed.Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.