SÁBADO – 11/JUNHO/2016

JUN-11_SaoBarnabeACurarOsDoentes S. BARNABÉ, Apóstolo por ter proclamado a proximidade dO Reino de Deus: Reino nos corações e espíritos, por amor. Este anúncio apostólico vem sempre acompanhado de curas milagrosas e milagres, desde a ressurreição dos mortos até à expulsão de demónios. Todo o trabalho é feito gratuitamente. O apóstolo – como O Mestre – deve desposar a pobreza, não ter nada de seu e depender em tudo da providência divina. Estudo de Paolo Veronese Porque, ao anunciar pela palavra o amor concreto e eficaz dO Pai pelos Seus filhos, deve confirmar essa palavra e amor com uma vida de confiança e de completo abandono a tão bom Pai. A providência que o apóstolo anuncia encarna-se na hospitalidade que oferecem os beneficiários do seu labor apostólico. Essa hospitalidade é, ao mesmo tempo, sinal da solicitude divina e de conversão humana. Que o Apóstolo Barnabé nos ensine a viver na “liberdade dos filhos de Deus” – que a aceitação da pobreza dá – e no “amor dos discípulos de Cristo”, que se concretiza na gratuitidade do dom de si próprio.

Actos 11, 21b-26 ; 13,1-3 ; Sal 97, 1-6 ; Mateus 10, 7-13

GRATUITAMENTE (Mat. 10,7-13). Vivemos num mundo em que tudo tem um preço, onde tudo se paga. Até o cuidado dos doentes! Até a educação das crianças! Até a beleza: também ela se paga – nos concertos, nos museus, nas exposições…! Podemos portanto, com facilidade, imaginar por contraste – e não sem alguma nostalgia apaixonada – como, enfim, seria um mundo de verdadeira gratuitidade, apontado aqui por Jesus. Vale a pena exercitar neste sentido a nossa imaginação. Para nos ajudar não necessitamos nem de sábias definições, nem de raciocínios abstractos. Será, sem dúvida, mais eficaz raciocinar a partir das nossas recordações, perguntando com realismo como e quando nos aconteceu receber algo gratuito -pois, graças a Deus, isso chega a todos – ou, o que foi que assim recebemos e qual o efeito que essa dádiva nos causou. A partir daí, se não queremos ficar no domínio das especulações, será útil interrogar-nos também sobre aquilo que – por nossa parte – podemos igualmente dar gratuitamente, e a quem.

Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris. Selecção e síntese: Jorge Perloiro.