TERÇA-FEIRA – 23/DEZEMBRO/2014

S. JOÃO CÂNCIO DE KETY (1390-1473).  João Câncio, natural de Kety, estudou e doutorou-se na universidade de Carcóvia, onde ficou professor após ser sacerdote. Grande benfeitor dos pobres, vivia ele próprio como pobre. A sua humildade era acompanhada pela simplicidade de uma criança. Após acabar o ensino, dirigia-se para a igreja onde ficava em oração e contemplação diante de Cristo na Eucaristia. Morreu durante a missa da vigília do Natal. Foi canonizado por Clemente Xlll, em 1767. Padroeiro da Polónia e da Lituânia.

Malaquias 3,1-4. 23-24 ; Sal 24, 4bc-5ab. 8-10.10-14 ; Lucas 1, 57-66

ZacariasEscreveONomeDeJoaoA GRAÇA DE DISCERNIR (Lucas 1,57-66). Isabel convida-nos a também tomarmos em consideração a novidade que Deus instaura nas nossas vidas. Isso implica posicionar-nos de forma inédita, tal como ela o fez relativamente à sua tradição familiar, sem ceder ao peso dos acontecimentos e à rotina. Porque se certamente há uma coerência no desígnio de Deus, com o que ele tem de continuidade, há igualmente pontos de rotura que apenas O Espírito nos pode ajudar a discernir. “Quem virá a ser este menino?” É sob o signo da incerteza que termina hoje o evangelho. Porém, todos sabem que “a mão dO Senhor está sobre ele”. A sua atitude é reveladora da tensão típica da vida cristã: por um lado a incerteza e a expectativa da vinda dO Senhor, e por outro, a confiança e a certeza da presença de Deus. Digamos, com a antífona do Magnificat: “Ó Emanuel, nosso rei e legislador, que todos os povos aguardam como Seu Salvador, vinde salvar-nos, Senhor nosso Deus!”

“Meditações Bíblicas”, tradução dos Irmãos Dominicanos da Abadia de Saint-Martin de Mondaye (Suplemento Panorama, Edição Bayard, Paris). Selecção e Síntese: Jorge Perloiro.