SEGUNDA-FEIRA – 10/NOVEMBRO/2014

EncontroDeSaoLeaoMagnoComAtilaS. LEÃO MAGNO (461). O santo papa Leão Magno é o pai da Igreja latina e um Doutor da Igreja. Eloquente homilista e escritor, deixou-nos muitas cartas e sermões de ensino ao seu rebanho. Eleito papa em 440, teve que enfrentar as invasões dos bárbaros e as fortes controvérsias teológicas sobre a divindade de Cristo. Combateu as heresias do pelagianismo, neoplatónica e do priscilianismo e ratificou a decisão do Patriarca de Constantinopla contra Eutiques com uma carta dogmática, que confirmava a doutrina da Encarnação. Contribuiu assim para fazer triunfar a sua fé na dualidade da natureza de Cristo, “verdadeiro Deus e verdadeiro homem”. Homem enérgico e bom pastor foi, com pompa, ao encontro dos Hunos do supersticioso Átila e conseguiu fazê-lo sair de Itália, salvando Roma. Igualmente quando os vândalos de Genserico invadiram Roma, mais uma vez, a santidade e a eloquência do papa Leão salvaram a cidade.

Tito 1, 1-9 ; Sal 23, 1-6 ; Lucas 17, 1-6

OS TRÊS SINAIS DISTINTIVOS DO DISCíPULO (Lucas 17,1-6). Encontramos neste evangelho os três sinais distintivos do discípulo. O primeiro sinal é o testemunho: testemunhar com verdade afim de orientar para Deus, enquanto o contra-testemunho, devido ao escândalo, afasta de Deus. O segundo sinal é o perdão : perdoar sem cessar, à maneira de Deus, àquele que nos pede a reconciliação.
Por fim, o terceiro sinal é implorar a fé numa entrega perfeita e total a Deus, que nos concede então tudo o que lhE pedirmos. Faço-Te Senhor, um pedido idêntico ao que os Apóstolos um dia Te fizeram: “Aumenta em mim a fé !” Ao dirigir-Te esta oração, estou já a manifestar a minha fé em Ti, embora ela seja tão pequenina como um grão de mostarda. É uma necessidade que sinto, pois só a fé em Ti pode fazer de mim alguém capaz de perdoar em profundidade e libertar-me do mal. Estou a pensar em Tomás More, o inglês do séc.XVI, decapitado por seguir a sua consciência. Após a condenação, disse aos juízes: “Queira Deus que, eu próprio e vós que me condenastes na terra, nos reencontremos alegremente no céu para nossa salvação eterna”. O cristão é de facto um homem livre a quem o ódio não escraviza.

“Meditações Bíblicas”, trad. dajes Irmãs Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard, Paris). Selecção e Sìntese: Jorge Perloiro.