QUINTA-FEIRA – 21/AGOSTO/2014

SaoPioXSÃO PIO X (1835-1914). Há cem anos morria Giuseppe Sarto, que fora eleito Papa em 1903 com o nome de Pio X. Tinha então escolhido como sua divisa : “Restaurar tudo em Cristo”. Canonizado em 1954.

Ezequiel 36, 23-28 ; Sal 50,12-15.18-19 ; Mateus 22,1-14

UM CORAÇÃO DE CARNE (Ez.36,23-28). O vocabulário bíblico que descreve o homem surpreende-nos muitas vezes. A nossa cultura é marcada pela tradição grega dualista que opõe a alma ao corpo, oposição que o mundo judeu não conhecia. O homem formava aí um todo : um ser de carne na sua fragilidade e finitude, e também um ser animado de sopro vital, inspirado pelO Espírito de Deus. O centro do homem é o coração, lugar dos sentimentos e também da vontade e da decisão. Quando o coração se afasta de Deus, torna-se coração de pedra, insensível, incapaz de entrar em relação e de amar. Mas Deus quer recriar de novo esta humanidade dividida que escolheu a morte. Ele quer dar-lhe O Seu próprio Espírito, animando os nossos corações de carne com a Sua própria vida.

“O REINO DOS CÉUS É COMPARÁVEL A UM REI QUE CELEBRA AS NÚPCIAS DO SEU FILHO…” (Mat.22,1-14). Que faremos nós no céu? Festejaremos as núpcias de Cristo. Da Igreja ? Sim, enquanto assembleia de todos os que tenham aceite o convite para entrarem. Alguns terão recusado entrar durante a vida nesta alegria das núpcias dO Filho, de reconhecerem em Jesus O Esposo da Igreja. Outros terão vindo, mas não terão querido vestir o traje das núpcias. Ou seja, não se terão deixado lavar pelO Filho. Estes terão vindo sem pensarem que só a misericórdia os pode despir do seu traje de pecado. O céu é um banquete de núpcias, e não uma cena de teatro em que nos contentamos de ficar sentados num banquinho da plateia a ver os anjos voarem. “Felizes os convidados às núpcias dO Cordeiro !”.

“Meditações Bíblicas”, trad. das Ir. Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.