SEGUNDA-FEIRA – 16/JUNHO/2014

BTO. LUIGI MARIA PALAZZOLO (1827-86). Sacerdote, natural de Bérgamo. Fundou duas congregações dedicadas aos pobres e aos orfãos. Beatificado pelo Papa S.João XXlll em 1963, que salientou a sua qualidade de simples sacerdote regular onde sobressaíam as virtudes da obediência e da fortaleza.

1 Reis 21,1-16 ; Sal 5, 2-3. 5-7 ; Mateus 5, 38-42

SermaoDaMontanha_HenryCollerNÃO VOS VINGUEIS DE QUEM VOS FIZER MAL (Mateus 5,38-42). As prescrições do Sermão da Montanha não constituem uma espécie de regulamento de vida onde cada ponto terá de aplicar-se com exactidão cega. Felizmente, porque, se fosse assim, poucas seriam as ocasiões para os pôrmos em prática. Não é todos os dias que nos roubam algo do nosso guarda-roupa (aliás, o ladrão foge sem esperar que lhe dêmos o resto); quando nos pedem para andar um quilómetro ou quando nos esbofetearem (se se tratar dum par de bofetadas) as prescrições de Jesus deixam de ser literais. Não !, elas são antes de mais, e sobretudo, o espírito de um comportamento que nos é pedido e cuja aplicação prática depende das circunstâncias. As palavras de Jesus ganham um valor particular se forem lidas à luz da Sua morte e ressurreição. Elas traçam o Seu auto-retrato, o do Servo sofredor, que suporta os insultos sem responder e dá a vida até ao fim. Toda a vida de Jesus foi uma preparação para a Sua paixão : Ele viveu este mandamento de amor tanto nos gestos mais escondidos como nas horas mais luminosas da Sua existência. Hoje, somos chamados a construir em nós a Sua semelhança. À força de O olharmos, de escrutinarmos a Sua Palavra, também nós viveremos esse amor extremo, tão difícil de pôr em prática aos olhos humanos.

“Meditações Bíblicas”, trad. das Ir.Dominicanas de Notre-Dame de Beaufort (Supl. Panorama, Ed. Bayard, Paris). Selecção e síntese: Jorge Perloiro.